Dentista é condenado a indenizar adolescente que engoliu broca durante extração dentária

Dentista é condenado a indenizar adolescente que engoliu broca durante extração dentária

Assustada e sentindo-se mal, ela foi levada até um hospital em Criciúma e submetida a raio X, que confirmou a existência de um objeto metálico em seu abdômen. O médico que a atendeu fez contato com o dentista, o qual relatou que a imagem poderia estar relacionada com a broca utilizada no procedimento cirúrgico. A jovem foi medicada e orientada a ficar em casa em observação e, caso não conseguisse expelir o objeto naturalmente, retornasse ao hospital para realização de cirurgia, pelo risco de perfuração de algum órgão ou tecido. Após dois dias, a broca foi expelida naturalmente pelo organismo.

O réu alegou que comunicou a autora sobre os riscos do procedimento e sintomas pós-cirúrgicos, que não agiu com imperícia e que não há comprovação de os sintomas apresentados pela autora estarem relacionados com a ingestão da broca cirúrgica. Além disso, argumentou que a broca é pequena e não perfurante, sendo prova disso o fato de que a jovem não percebeu o momento em que engoliu o objeto estranho. O dentista foi condenado a indenizar a paciente por danos morais em R$ 7.500. Cabe recurso ao TJSC.

Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI
Responsável: Ângelo Medeiros – Reg. Prof.: SC00445(JP)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *